segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

AMENIDADES


O vento de hoje chegou macio.
Não trouxe o abano,
o assobio
os versos tremulantes de pano.
Ao contrário dos ventos uivantes,
quando ele passar,
tudo ficará como antes.
Ventos amenos
não batem portas,
não viram mesas.
Se ao menos varressem do chão as folhas mortas...

Flora Figueiredo
de Páginas viradas de um abril qualquer
arte Olha Darchuk



Nenhum comentário:

Postar um comentário